Logo Cesar Peres Dulac Müller

BLOG CPDMA

Categoria:
Data: 12 de março de 2021
Postado por: Equipe CPDMA

Nova possibilidade de tomada de créditos de PIS/COFINS: condomínio de shopping center

Para as empresas que estão sujeitas à apuração do IRPJ e da CSLL sob a modalidade do Lucro Real, o recolhimento do PIS e COFINS se dá pela sistemática da não-cumulatividade. Isso significa afirmar que a empresa poderá tomar créditos de determinadas despesas previstas em lei com o objetivo de reduzir o montante a pagar relativamente às contribuições ao PIS e a COFINS.

Desse modo, naturalmente, os contribuintes estão sempre em busca de novas interpretações da legislação que possam ampliar, de forma segura e legal, o leque de possibilidades de tomada de créditos de PIS/COFINS. Quanto maiores forem as possibilidades de tomada de crédito, menor será a carga tributária final em relação às contribuições supracitadas.

Recentemente, foi proferida decisão pela Justiça Federal de São Paulo que concedeu nova possibilidade de tomada de créditos na não cumulatividade do PIS/COFINS. Na ocasião, a justiça paulista reconheceu o direito de um contribuinte à tomada de crédito de PIS/COFINS sobre os valores pagos a título de despesas de condomínio de shopping center. Até então, por previsão legal, apenas admitia-se a tomada de créditos sobre os valores gastos com aluguel. Essa nova interpretação, contudo, amplia a noção, baseada no conceito de insumos, permitindo que também os valores dispendidos com cobranças condominiais de lojas e empreendimentos situados em shopping center possam ser considerados geradores de créditos de PIS/COFINS.

O argumento central é que deve ser considerado como insumo, e com isso passível de apuração de créditos, todo e qualquer valor gasto pelo contribuinte que seja essencial e indispensável para a realização de sua atividade produtiva. Nesse contexto, os contribuintes que possuem lojas e estabelecimentos em shopping center são obrigados a arcar com as despesas de condomínio, de tal sorte que os referidos valores constituem despesas absolutamente essenciais e necessárias à realização da atividade fim daquele empreendimento.

Caso sua empresa esteja em situação semelhante, recomendamos que seja avaliado o ingresso de medida judicial para o fim de buscar o reconhecimento judicial do direito de efetuar a tomada de créditos de PIS e COFINS sobre os valores de condomínio em shopping center, bem como para ver reconhecido o direito a fazer a apuração de tais créditos de forma retroativa, nos últimos cinco anos.

Fonte: Wagner Arnold Fensterseifer, advogado da Cesar Peres Dulac Müller, é especialista em Direito Tributário e Mestre em Filosofia do Direito.

Voltar

Posts recentes

A Resolução n° 80 da CVM e a dissonância com o sigilo inerente aos procedimentos arbitrais

Em vigor desde 02 de maio de 2022, a Resolução n° 80 da CVM traz um novo comunicado sobre demandas societárias, regulando o registro e a prestação de informações periódicas e eventuais dos emissores de valores mobiliários. Tal regulação foi objeto da Audiência Pública 1/21 e consolidou o conteúdo das Instruções n° 367 e 480 […]

Ler Mais
Extinção de sociedade limitada e a responsabilidade dos sócios

O processo de extinção de uma sociedade limitada passa por três etapas, sendo a primeira delas a Dissolução, seguida da Liquidação e por fim, a Extinção. A fase de Dissolução, podendo ser parcial ou total (para o fim de extinção, ocorre a dissolução total), pode-se dizer que é o momento em que os sócios manifestam […]

Ler Mais
CARF Decide que demora na integralização do AFAC não descaracteriza operação e afasta incidência de IOF

A Terceira Turma da Câmara Superior de Recursos Fiscais (CARF), por voto de qualidade, entendeu que a demora na integralização do capital social nas operações de Adiantamento para Futuro de Aumento de Capital – AFAC não caracteriza a operação como mútuo e, com isso, afasta a incidência de IOF. O AFAC é uma operação que […]

Ler Mais
Philco é processada por suposta imitação de trade dress de batedeiras

A multinacional Whirlpool, dona da KitchenAid e diversas outras marcas famosas no segmento de eletrodomésticos como Brastemp e a Consul, está processando a Philco por concorrência desleal e supostos ilícitos contra propriedade industrial da linha de batedeiras “Artisan” da KitchenAid. A ação tramita na 2ª Vara Empresarial e de Conflitos de Arbitragem de São Paulo, […]

Ler Mais
A distribuição de lucros por empresas em recuperação judicial

Não são raras as vezes que podemos observar empresas cujos sócios possuem um baixo pró-labore e têm a complementação de seus rendimentos por meio de antecipação dos dividendos. A prática, [1] contudo, não se mostrava alinhada com os preceitos da recuperação judicial e o estado de insolvência das devedoras, uma vez que os sócios estariam retirando os […]

Ler Mais
Da possibilidade de penhora de bem de família do fiador

Recentemente o Supremo Tribunal Federal (STF) julgou Recurso Extraordinário, submetido ao rito de repercussão geral, onde por maioria de votos entendeu por permitir que locadores de imóveis comerciais possam penhorar bem de família do fiador para garantir o recebimento dos aluguéis não pagos pelo locatário. No seu voto, o relator, ministro Alexandre de Moraes, asseverou […]

Ler Mais
crossmenuchevron-down
pt_BRPortuguês do Brasil
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram