Logo Cesar Peres Dulac Müller

BLOG CPDMA

Categoria:
Data: 27 de janeiro de 2021
Postado por: Equipe CPDMA

STJ julgará limitação da base de cálculo das contribuições ao Sistema S

O Superior Tribunal de Justiça julgará a limitação de 20 salários-mínimos da base de cálculo das contribuições para terceiros (Sistema S, INCRA e Salário Educação). Trata-se de discussão envolvendo os limites sobre os quais podem incidir as cobranças sobre a folha de salário das empresas.

Os contribuintes sustentam que a Lei 6. 950/1981 estabelece o limite de 20 vezes o salário-mínimo vigente, como teto para a apuração das referidas contribuições, o que não estaria sendo observado pela fiscalização tributária. Isso porque o Fisco entende que esse limite foi excluído do ordenamento jurídico por meio de um Decreto-Lei datado de 1986 e, portanto, não deveria mais ser respeitado, podendo-se tributar integralmente a folha de salários com as contribuições para terceiros.

Já houve manifestação do STJ sobre a matéria, por duas ocasiões, sendo que em ambas a Corte se manifestou pela validade da limitação de 20 salários-mínimos, ou seja, deu ganho de causa aos contribuintes. Agora, a diferença é que a decisão será proferida em sede de recursos repetitivos e, com isso, terá força para afetar as decisões de todas as demais esferas do poder judiciário, vinculando-as ao posicionamento do STJ.

Diante de tal cenário, as empresas que possuem folha de salários com número de colaboradores elevado deverão buscar judicialmente exercer o seu direito para fins de limitar a incidência das contribuições ao Sistema S, INCRA e Salário Educação, bem como para obter o direito de reaver os valores pagos indevidamente nos últimos cinco anos.

O impacto da aplicação do limite é considerável, uma vez que as contribuições para terceiros representam uma oneração de cerca de 5, 8% sobre a totalidade da folha de salários paga mensalmente pela empresa. Desse modo, a aplicação da tese pode representar um alívio de caixa mensal, sobretudo para aquelas empresas que possuem número elevado de colaboradores em folha, para as quais o limite de 20 salários-mínimos será sobremaneira relevante ao calcular, apurar e recolher as contribuições incidentes sobre a folha de salários.

A equipe da Cesar Peres Dullac Müller Advocacia Empresarial está a sua disposição para lidar com esta e outras questões tributárias que podem afetar de forma direta a rentabilidade de sua empresa.

Fonte: Wagner Arnold Fensterseifer, advogado da Cesar Peres Dulac Müller, é especialista em Direito Tributário e Mestre em Filosofia do Direito.

Voltar

Posts recentes

Conheça a classe de ativos - DIREITOS AUTORAIS

Fechando a nossa série de posts sobre as Classes de Ativos da Propriedade Intelectual, trataremos hoje do registro de DIREITOS AUTORAIS. Autor é a pessoa física criadora de obra literária, artística ou científica. O direito autoral protege tais obras e pode ser patrimonial (direito de exploração comercial da obra) ou moral (reivindicação de autoria, conservação […]

Ler Mais
Transação SOS-RS: mais uma possibilidade de regularização no cenário pós enchentes

Foi publicada em 26/06/2024 uma nova modalidade de transação que abrange as empresas com domicílio fiscal no Rio Grande do Sul. Trata-se de mais uma medida do Poder Público, no âmbito Federal, para enfrentamento aos prejuízos causados pelas enchentes que assolaram o RS. A nova transação, denominada “Transação SOS-RS”, foi instituída pela Portaria PGFN/MF nº […]

Ler Mais
Conheça a classe de ativos - REGISTRO DE DOMÍNIO

Em nossa série de posts que explicam as diferenças entre as classes de ativos intelectuais, hoje trataremos do REGISTRO DE DOMÍNIO. A proteção do endereço eletrônico do site da internet (domínio) é realizada no Registro.BR. Nesse caso, a pesquisa de disponibilidade do domínio é imprescindível para a realização do registro. Caso um terceiro tente registrar um […]

Ler Mais
Conheça a classe de ativos - REGISTRO DE SOFTWARE

O tópico da nossa série de posts que explicam as diferenças entre as classes de ativos intelectuais de hoje será: o REGISTRO DE SOFTWARE. O registro de software protege o programa de computador em si, ou seja, o código-fonte. O registro é fundamental para a comprovação da autoria do desenvolvimento. É realizado junto ao INPI […]

Ler Mais
Conheça a classe de ativos - DESENHO INDUSTRIAL

Na nossa série de posts que explicam as diferenças entre as classes de ativos intelectuais, hoje trataremos do DESENHO INDUSTRIAL. O Desenho Industrial é a forma plástica ornamental de um objeto – por exemplo, o design de um produto ou o conjunto de linhas aplicadas a um produto, como uma estampa – que lhe proporcionem […]

Ler Mais
Conheça a classe de ativos - PATENTES

A PATENTE é um título de propriedade concedido pelo Estado sobre um invento inédito (patente de invenção) ou derivado de outro já existente (patente de modelo de utilidade). O pedido de registro é realizado junto ao INPI, conferindo ao seu titular, através da concessão, o direito de impedir que terceiros fabriquem, usem, exponham à venda […]

Ler Mais
crossmenuchevron-down
pt_BRPortuguês do Brasil
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram