Logo Cesar Peres Dulac Müller

BLOG CPDMA

Categoria:
Data: 19 de março de 2024
Postado por: Equipe CPDMA

A proteção conferida às marcas de alto renome

Proteção de marcas de renome

Circulou nas últimas semanas em sites jurídicos a notícia de que a Justiça Federal teria anulado um registro para a marca “CHEVETTE DRINK”.

O registro, com apresentação nominativa, foi considerado anulável por infringir o artigo 124, inciso VI, da Lei da Propriedade Industrial (LPI), que veda registro de sinais de caráter genérico, empregados comumente para designar características do produto, salvo quando revestido de forma distintiva.

Ocorre que o termo Chevette se trata de expressão utilizada para designar um tipo de drink alcoólico de baixo custo, em analogia ao antigo veículo da Chevrolet. Por tal razão, o entendimento do judiciário foi no sentido de que não poderia apenas um empresário deter a exclusividade de uso da expressão em sua forma nominativa, por falta de distintividade. Fosse o contrário, ou seja, uma marca com apresentação mista e desde que dotada de suficiente forma distintiva, acrescida de outros elementos nominativos e/ou figurativos, o registro até poderia ser admitido e permanecer vigente.

A decisão foi nesse sentido.

Mas tracemos um paralelo aqui. E se a marca não fosse Chevette – com referência ao veículo, cuja marca de titularidade da General Motors inclusive já foi extinta – mas fosse FUSCA Drink. Poderia uma empresa se apropriar do termo, ainda que com apresentação mista e distintiva, em seguimento diverso do automotivo?

A resposta é não.

A marca FUSCA, de titularidade da Volkswagen do Brasil é uma marca de alto renome, proteção conferida pelo artigo 125 da LPI. Isso significa que a marca, devidamente registrada e com anotação de reconhecimento do alto renome, goza de proteção especial, em todos os ramos de atividadeDesta forma é proibida a sua utilização em qualquer que seja o seguimento mercadológico, a não ser por sua titular.

Processo: 5053429-50.2022.4.02.5101

Propriedade Intelectual | Equipe CPDMA

Voltar

Posts recentes

O risco de não estar atento às modificações de uma marca

A marca de azeites portugueses GALLO aproveitou a proximidade da Páscoa e anunciou uma modificação na forma de apresentação da marca e do rótulo de seus produtos. Segundo o diretor de marketing da empresa, Pedro Gonçalves, a nova identidade visual foi inspirada em uma lenda sobre a origem da marca. Ele relata que em 1919, […]

Ler Mais
A proteção conferida às marcas de alto renome

Circulou nas últimas semanas em sites jurídicos a notícia de que a Justiça Federal teria anulado um registro para a marca “CHEVETTE DRINK”. O registro, com apresentação nominativa, foi considerado anulável por infringir o artigo 124, inciso VI, da Lei da Propriedade Industrial (LPI), que veda registro de sinais de caráter genérico, empregados comumente para […]

Ler Mais
Domicílio Judicial Eletrônico: empresas devem se cadastrar até 30 de maio

As grandes e médias empresas [1] de todo o país terão até o dia 30 de maio de 2024 para realizar o cadastro voluntário no Domicílio Judicial Eletrônico, ferramenta do Programa Justiça 4.0 que centraliza informações e comunicados dos processos dos tribunais brasileiros. Encerrado este prazo, os cadastros serão feitos de forma compulsória, a partir […]

Ler Mais
A instabilidade no Instagram e Facebook teria sido consequência de decisão judicial?

Houve especulações nos últimos dias se a instabilidade das redes sociais Instagram e Facebook teria se dado por reflexo da decisão judicial proferida pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), que determinou a abstenção de uso pela Meta Platforms, INC., dona das plataformas, da marca ‘META’, registrada primeiramente no Brasil pela empresa Meta Serviços […]

Ler Mais
Uso indevido de marca por ex-sócia pode ser reconhecido não apenas como concorrência desleal, mas também como má-fé.

Em 14 de fevereiro foi veiculado no jornal “Valor Econômico”, matéria na qual é apontado que o Tribunal de Justiça de São Paulo teria reconhecido a concorrência desleal em uso indevido de marca por ex-sócia. A notícia, contudo, não informa o número do processo no qual seria possível analisar maiores detalhes da decisão, mas informa que os indivíduos teriam firmado contrato de […]

Ler Mais
As primeiras sanções aplicadas pela Agência Nacional de Proteção de Dados Pessoais — ANPD; foram como um sinal de alerta para as empresas: a LGPD é uma lei séria e deve ser cumprida.

A Lei Geral de proteção de Dados Pessoais — Lei n. 13.709/18 (LGPD) foi publicada em 2018 e entrou em vigor em 2020. Este prazo foi concedido às pessoas jurídicas de direito público e privado (agentes de tratamento) que coletam, armazenam ou tratam dados pessoais de pessoas físicas, no Brasil ou no exterior para se […]

Ler Mais
crossmenuchevron-down
pt_BRPortuguês do Brasil
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram