Logo Cesar Peres Dulac Müller

BLOG CPDMA

Categoria:
Data: 12 de março de 2024
Postado por: Equipe CPDMA

A instabilidade no Instagram e Facebook teria sido consequência de decisão judicial?

instabilidade nas redes sociais

Houve especulações nos últimos dias se a instabilidade das redes sociais Instagram e Facebook teria se dado por reflexo da decisão judicial proferida pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), que determinou a abstenção de uso pela Meta Platforms, INC., dona das plataformas, da marca ‘META’, registrada primeiramente no Brasil pela empresa Meta Serviços em Informática S/A, autora da ação. Ocorre que a instabilidade das duas plataformas se deu na mesma semana em que houve a divulgação de que a empresa seria obrigada a deixar de usar a expressão ‘META’ como marca.

O anúncio da mudança do nome corporativo da empresa se deu em 2021, em alusão ao metaverso – tecnologia de realidade virtual.

Inicialmente, é importante esclarecer que a decisão que determinou “a cessação de toda e qualquer utilização do nome ou da marca ‘META’”, deve ser cumprida no prazo de 30 dias corridos a contar da data do julgamento do agravo de instrumento pelo TJSP, ocorrido em 28/02/2024. Logo, como não transcorreu o prazo, a instabilidade das plataformas nada tem a ver com a ordem judicial.

Ainda, no que diz respeito à ação judicial que objetiva a abstenção de uso da marca ‘META’, há divergência sobre qual seria a Justiça competente para decidir a questão, já que no início do processo estadual, a marca ‘META’ de titularidade do Facebook foi deferida pelo INPI, tendo a empresa brasileira, titular do primeiro registro, ingressado com pedido de nulidade do registro na Justiça Federal.

Ademais, o Facebook adquiriu dois registros de marcas nominativas compostas pela expressão ‘META’, na mesma classe pretendida – 42 – e com registros anteriores à marca brasileira e com isso, a alegação principal de anterioridade de registro pela autora do processo, aparentemente, cai por terra.

Ou seja, trata-se de uma questão bastante complexa e que não será resolvida com apenas uma decisão, até porque ainda cabe recurso da decisão proferida pelo TJSP, o que não impede também que, a qualquer momento, as partes cheguem a um acordo sobre o tema.

Processo Agravo de Instrumento: 2208229-28.2023.8.26.0000

Propriedade Intelectual | Equipe CPDMA

Voltar

Posts recentes

O risco de não estar atento às modificações de uma marca

A marca de azeites portugueses GALLO aproveitou a proximidade da Páscoa e anunciou uma modificação na forma de apresentação da marca e do rótulo de seus produtos. Segundo o diretor de marketing da empresa, Pedro Gonçalves, a nova identidade visual foi inspirada em uma lenda sobre a origem da marca. Ele relata que em 1919, […]

Ler Mais
A proteção conferida às marcas de alto renome

Circulou nas últimas semanas em sites jurídicos a notícia de que a Justiça Federal teria anulado um registro para a marca “CHEVETTE DRINK”. O registro, com apresentação nominativa, foi considerado anulável por infringir o artigo 124, inciso VI, da Lei da Propriedade Industrial (LPI), que veda registro de sinais de caráter genérico, empregados comumente para […]

Ler Mais
Domicílio Judicial Eletrônico: empresas devem se cadastrar até 30 de maio

As grandes e médias empresas [1] de todo o país terão até o dia 30 de maio de 2024 para realizar o cadastro voluntário no Domicílio Judicial Eletrônico, ferramenta do Programa Justiça 4.0 que centraliza informações e comunicados dos processos dos tribunais brasileiros. Encerrado este prazo, os cadastros serão feitos de forma compulsória, a partir […]

Ler Mais
A instabilidade no Instagram e Facebook teria sido consequência de decisão judicial?

Houve especulações nos últimos dias se a instabilidade das redes sociais Instagram e Facebook teria se dado por reflexo da decisão judicial proferida pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), que determinou a abstenção de uso pela Meta Platforms, INC., dona das plataformas, da marca ‘META’, registrada primeiramente no Brasil pela empresa Meta Serviços […]

Ler Mais
Uso indevido de marca por ex-sócia pode ser reconhecido não apenas como concorrência desleal, mas também como má-fé.

Em 14 de fevereiro foi veiculado no jornal “Valor Econômico”, matéria na qual é apontado que o Tribunal de Justiça de São Paulo teria reconhecido a concorrência desleal em uso indevido de marca por ex-sócia. A notícia, contudo, não informa o número do processo no qual seria possível analisar maiores detalhes da decisão, mas informa que os indivíduos teriam firmado contrato de […]

Ler Mais
As primeiras sanções aplicadas pela Agência Nacional de Proteção de Dados Pessoais — ANPD; foram como um sinal de alerta para as empresas: a LGPD é uma lei séria e deve ser cumprida.

A Lei Geral de proteção de Dados Pessoais — Lei n. 13.709/18 (LGPD) foi publicada em 2018 e entrou em vigor em 2020. Este prazo foi concedido às pessoas jurídicas de direito público e privado (agentes de tratamento) que coletam, armazenam ou tratam dados pessoais de pessoas físicas, no Brasil ou no exterior para se […]

Ler Mais
crossmenuchevron-down
pt_BRPortuguês do Brasil
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram