Logo Cesar Peres Dulac Müller

BLOG CPDMA

Categoria:
Data: 10 de maio de 2022
Postado por: Equipe CPDMA

Philco é processada por suposta imitação de trade dress de batedeiras

Batedeira vermelha de linhas sofisticadas, com batedor levantado, mostrando uma massa de textura homogênea.

A multinacional Whirlpool, dona da marca KitchenAid e diversas outras marcas famosas no segmento de eletrodomésticos como Brastemp e a Consul, está processando a Philco por concorrência desleal e supostos ilícitos contra propriedade industrial da linha de batedeiras “Artisan” da KitchenAid. A ação tramita na 2ª Vara Empresarial e de Conflitos de Arbitragem de São Paulo, onde a Whirlpool alega que a concorrente brasileira imita 7 características básicas do design (trade dress) da batedeira da marca .

Na petição inicial, a Whirlpool trouxe como argumento uma pesquisa de opinião, realizada pelo IPEC, na qual se poderia constatar que 47% dos entrevistados entendem que as batedeiras são muito parecidas e que poderiam se confundir. A mesma pesquisa demonstrou que 76% dos consumidores relacionam o modelo da batedeira em questão diretamente com a marca KitchenAid quando estimulados pela imagem. Requereu, em sede liminar, o recolhimento dos produtos e do material publicitário existente no mercado. O magistrado, em primeiro grau, decidiu pelo indeferimento do pedido, entendendo que não poderia retirar de circulação os produtos da empresa brasileira sem que houvesse perícia prévia com especialista da confiança do juízo.

O trade dress nada mais é do que a identidade visual do produto ou serviço apresentado ao público, a “roupagem” que faz com que o consumidor identifique imediatamente a sua origem e o diferencie de outros concorrentes. Embora não regulado pela Lei da Propriedade Industrial (Lei nº 9.279/1996), o conjunto-imagem de produtos e serviços (trade dress) é suscetível de proteção jurídica quando a utilização de conjunto semelhante resulte em ato de concorrência desleal, ou seja, quando há confusão e/ou associação pelos consumidores com produtos e serviços concorrentes.

A Philco se defende alegando que a única semelhança entre as batedeiras é tão somente a cor vermelha, o que não caracterizaria imitação do trade dress, pois para que seja considerada imitação indevida é necessária a associação de diversos elementos de design de forma conjugada. Refere ainda, que a proteção por trade dress cabe a tudo que não é protegido por marca, desenho industrial e por patente.

Nos termos do art. 95 da Lei de Propriedade Industrial, considera-se desenho industrial a forma plástica ornamental de um objeto ou o conjunto ornamental de linhas e cores que possa ser aplicado a um produto, proporcionando resultado visual novo e original na sua configuração externa e que possa servir de tipo de fabricação industrial. O desenho industrial traz ao produto uma nova apresentação, uma nova forma que não aumenta a utilidade daquele produto em si.

Se o consumidor, pessoa comum, compra um produto achando que está comprando outro há evidente contrafação de desenho industrial, que é o que alega a empresa Whirlpool. Contudo, desde o momento da criação da batedeira, a Whirlpool não efetuou o registro do desenho industrial no Brasil junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial - INPI, fazendo com que sua tese tenha que se pautar tão somente no instituto do conjunto-imagem. Inclusive, quem possui o registro sobre a forma plástica das batedeiras em questão na forma de Desenho Industrial é a própria Philco, que recebeu a concessão ainda no ano de 2018, antes mesmo de começar a comercializar a linha no ano de 2019.

Para que seja possível proteger o design de um produto, é necessário, desde que ele seja novo e original, que seja depositado junto ao INPI tão logo seja criado. Nem mesmo as maiores empresas, como é o caso da Whirlpool, estarão protegidas pela Lei de Propriedade Industrial se negligenciarem o registro de seu engenho no Brasil.

Referências:

Valor Econômico

Yahoo Finanças

O Globo | Economia

Equipe CPDMA - Propriedade Intelectual

Voltar

Posts recentes

Conheça a classe de ativos “marca”

Seguindo com a nossa série de posts que explica as diferenças entre as classes de ativos intelectuais, hoje trataremos da MARCA. A marca é um sinal utilizado para distinguir e identificar um produto ou serviço. Seu registro é realizado junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial, INPI, garantindo ao titular a exclusividade de uso em […]

Ler Mais
A Propriedade Intelectual confere ao autor, inventor ou titular do conhecimento, poder para resguardar seus direitos

A propriedade intelectual confere ao autor, inventor e/ou titular do conhecimento protegido o poder de resguardar seus direitos, podendo, por exemplo, proibir terceiros de produzir, utilizar, vender ou importar sua invenção, bem como impedir a reprodução ou imitação de sua marca, além de garantir exclusividade ao titular da criação [1] (ARAÚJO; BARBOSA; QUEIROGA; ALVES, 2010). […]

Ler Mais
Na melhor tradição CPDMA em receber bem, nosso novo escritório em São Paulo está pronto para sua visita

O suporte em Direito Empresarial que seu negócio procura, com o atendimento diferenciado CPDMA que você merece. Localizada estrategicamente no coração do Itaim Bibi, um dos centros financeiros mais vibrantes de São Paulo, a filial da CPDMA está situada na Rua Bandeira Paulista, 716, conjunto 31/32. Para mais informações ou agendar uma visita, entre em […]

Ler Mais
O risco de não estar atento às modificações de uma marca

A marca de azeites portugueses GALLO aproveitou a proximidade da Páscoa e anunciou uma modificação na forma de apresentação da marca e do rótulo de seus produtos. Segundo o diretor de marketing da empresa, Pedro Gonçalves, a nova identidade visual foi inspirada em uma lenda sobre a origem da marca. Ele relata que em 1919, […]

Ler Mais
A proteção conferida às marcas de alto renome

Circulou nas últimas semanas em sites jurídicos a notícia de que a Justiça Federal teria anulado um registro para a marca “CHEVETTE DRINK”. O registro, com apresentação nominativa, foi considerado anulável por infringir o artigo 124, inciso VI, da Lei da Propriedade Industrial (LPI), que veda registro de sinais de caráter genérico, empregados comumente para […]

Ler Mais
Domicílio Judicial Eletrônico: empresas devem se cadastrar até 30 de maio

As grandes e médias empresas [1] de todo o país terão até o dia 30 de maio de 2024 para realizar o cadastro voluntário no Domicílio Judicial Eletrônico, ferramenta do Programa Justiça 4.0 que centraliza informações e comunicados dos processos dos tribunais brasileiros. Encerrado este prazo, os cadastros serão feitos de forma compulsória, a partir […]

Ler Mais
crossmenuchevron-down
pt_BRPortuguês do Brasil
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram