Cesar Peres Dulac Müller logo

CPDMA BLOG

Category:
Date: August 6, 2020
Posted by: CPDMA Team

INPI recognizes the term “Helles” as a beer style

Nos últimos meses, muitas empresas do mercado cervejeiro, em especial as micro-cervejarias artesanais, foram alvo de diversas ordens extrajudiciais de abstenção de uso da expressão “HELLES” – estilo de cerveja clara, tradicional da região da Baviera na Alemanha – sob argumento de que apenas a titular poderia utilizar o termo, ante a concessão de exclusividade dada pelo INPI com o registro da marca. Deste então, se aguardava o posicionamento do órgão sobre o assunto.

O entendimento foi exposto na decisão prolatada em ambos os processos administrativos de nulidade promovidos pela titular da marca “HELLES” contra os registros de marca “RAIMUNDOS HELLES” em suas apresentações nominativa e mista, por entender que o signo imitaria a marca nominativa, de sua titularidade, registrada junto ao INPI.

O órgão afirmou que as marcas objetos dos pedidos de nulidade, se utilizam da mesma expressão que compõe a marca da requerente, contudo, entendeu não se tratar de hipótese de anulação dos registros, pois HELLES é “um estilo de cerveja tradicional de Munique, Alemanha” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Helles) e por tal razão, serve para designar cervejas ou qualquer produto/serviço relacionado à bebida, sendo ausente a distintividade e portanto, irregistrável à título exclusivo como marca, sob pena de infração ao artigo 124, VI da LPI.

Contrariamente a esse entendimento, reconheceu que em 2007 foi concedido o registro da marca nominativa HELLES e por ter decorrido mais de 5 anos da concessão, não se conseguiria a declaração da nulidade diante do advento da prescrição.

[...] “Talvez, em razão deste fato – de ainda não se encontrar difundido no Brasil, em 2007, este tipo de cerveja – a terminologia “Helles”, desacompanhada de qualquer elemento capaz de revestir-lhe de suficiente forma distintiva, foi concedida como marca à requerente do PAN, equivoco praticado pelo INPI que, contudo, não pode justificar a perpetração de outros pelo Instituto, pois, se assim o fosse, o que estaria a se fazer com a concessão de tal marca não seria apenas conferir o direito ao uso exclusivo como tal à requerente para designar cervejas, seria, em verdade, conferir-lhe exclusividade de utilização, no segmento cervejeiro, de uma palavra do patrimônio comum de todos aqueles que atuam neste setor, o que é inadmissível” [...]

Justificou que em 2007 a cultura da cerveja artesanal, a qual muitos entendem pertencer o tipo HELLES, ainda não era muito difundido, e talvez por isso, a terminologia foi equivocadamente reconhecida como marca. Entretanto, afirmou que o equívoco anteriormente praticado não pode significar a perpetração de outros erros pelo Instituto, pois reconhecer a exclusividade de uso da expressão “HELLES” significaria abster todo o segmento cervejeiro do uso de uma palavra que constitui patrimônio comum de todos os atuantes do setor, o que é inadmissível.

Diante da inexistência de normativa especifica para direcionar o INPI na solução do equívoco praticado, o órgão entendeu pela aplicação da Nota INPI/PR/CGREC no 06/2012 que trata das anterioridades marcárias compostas de termos irregistráveis à titulo exclusivo. Considerou que no caso concreto deveria ser analisado de forma a identificar se a marca objeto de nulidade “RAIMUNDOS HELLES” na forma apresentada seria passível de causar confusão ao público consumidor ou associação à marca da requerente da nulidade, concluindo negativamente.

Assim, registrou dever ser reservada à titular da marca a utilização do termo “HELLES” isoladamente como função de marca, implicando o indeferimento tão somente de marcas de terceiros que venham a se utilizar do termo para identificar o produto cerveja afim de evitar a confusão de produtos, excluindo os casos que se utilizarem do termo para identificar o estilo/tipo de produto “HELLES”.

No caso sob análise, considerou ser improvável a confusão do consumidor entre os dois produtos, pois, enquanto na RAIMUNDOS HELLES a expressão identifica o tipo de cerveja, na HELLES, a expressão é a própria marca. Assim, negou provimento ao pedido administrativo de nulidade, mantendo a concessão das marcas “RAIMUNDOS HELLES” nas apresentações nominativa e mista.

A decisão é um alívio às diversas empresas do mercado cervejeiro que vinham recebendo notificações com ordem de abstenção de uso do termo HELLES, utilizado unicamente – e da forma correta – para identificar o tipo/estilo de produto vendido.

Fonte: Vanessa Pereira Oliveira Soares sobre os Pareceres Técnicos emitidos nos autos dos Pedidos de Nulidade Administrativa dos registros 909913161 e 909913617.

Return

Recent posts

Misuse of a trademark by a former partner can be recognized not only as unfair competition, but also as bad faith.

On February 14, the newspaper "Valor Econômico" published an article in which it was pointed out that the São Paulo Court of Justice had recognized unfair competition in the improper use of a trademark by a former partner. The article, however, does not give the number of the case in which it would be possible to analyze more details of the decision, but it does inform that the individuals had signed a [...]

Read more
The first sanctions applied by the National Agency for the Protection of Personal Data (ANPD) were a wake-up call for companies: the LGPD is a serious law and must be complied with.

The General Personal Data Protection Law - Law No. 13,709/18 (LGPD) was published in 2018 and came into force in 2020. This deadline was given to public and private legal entities (processing agents) that collect, store or process the personal data of individuals, in Brazil or abroad, in order to [...]

Read more
Business position on the recent STF decision that ruled that it is constitutional for trade unions to charge assistance contributions

Recently, the Federal Supreme Court (STF) unanimously ruled that unions can collect an assistance contribution, including from non-member employees, in ARE 1.18.459 (Topic 935 of the General Repercussion), as long as the worker is guaranteed the right to object, establishing the following thesis: "it is constitutional to establish, by agreement or [...]

Read more
The new chapter in the legal dispute involving the term "HELLES", registered as a 'trademark'.

Recalling the case... It all started at the beginning of 2019, when the brewery Fassbier gave extrajudicial notice to a series of breweries in Rio Grande do Sul for the alleged misuse of the term HELLES, claiming to have exclusive use of the expression, given that the word was registered as a trademark. Not satisfied with [...]

Read more
Suspension of labor executions against companies in the same economic group

In a recent decision, the STF suspended the processing of labor executions that discuss the inclusion, in the execution phase, of a company that is part of an economic group that did not participate in the knowledge process. In labor proceedings, when the execution phase is reached and the main debtor does not have enough assets to pay the debt, many [...]

Read more
STJ decides that the legal personality of a civil association can be disregarded, but limits liability to the directors

The 3rd Panel of the Superior Court of Justice (STJ) [1] dismissed a special appeal filed by the directors of a civil association, which had its legal personality disregarded in a case involving the improper use of a trademark. The Court, in a judgment drafted by Justice Marco Aurélio Belizze, held that the disregard of [...]

Read more
crossmenuchevron-down
en_USEnglish
linkedin Facebook pinterest youtube lol twitter Instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter Instagram